• Turismo

      30/08/2018 | Holambra - Expoflora apresenta novidades

      Expoflora apresenta novidades em flores e plantas que ajudam o mercado floricultor a espantar a crise

      Com poucas expectativas de um crescimento econômico nacional nos próximos anos, o Ibraflor - Instituto Brasileiro de Floricultura - tem orientado os produtores a reduzir custos e a inovar. Com isso, o mercado floricultor deve crescer cerca de 10% este ano em relação a 2017. As novidades deste mercado em 2018 serão apresentadas na Expoflora, entre 23 de agosto e 24 de setembro, em Holambra (SP).

      Com um olho que não desgruda do mercado de decoração e outro que busca sempre novos nichos de venda, como os chamados autosserviços (supermercados, varejões etc.), os produtores de Holambra investem cada vez mais em tecnologias e importam novas variedades de flores e plantas que deslumbram os consumidores.

      Para apresentar essas novidades, os produtores de Holambra utilizam-se dos jardins, da exposição de arranjos florais, da mostra de paisagismo e de muitos outros espaços oferecidos nos 250 mil metros quadrados do parque da Expoflora – maior exposição de flores e planta ornamentais da América Latina –, que acontece entre 23 de agosto e 24 de setembro, de sexta a domingo, das 9 às 19h, em Holambra (SP). O município tem apenas 13 mil habitantes, mas responde por cerca de 50% de todo o comércio de flores do Brasil.

      Tendências

      Considerada o “fashion week” das flores, a Expoflora apresenta ao público as flores e as plantas ornamentais cultivadas por mais de 450 produtores, que usam o evento como vitrine para lançar as novas variedades de flores e plantas no mercado, ditando as tendências no paisagismo e na decoração, ao mesmo tempo em que avaliam a aceitação dos produtos pelo consumidor.

      Este ano, as novidades são a rosa “Inglesa” (que tem mais de 100 pétalas e que lembra as raras e caras peônias) e a rosa Bluez, com pétalas aveludadas em tom vermelho brilhante por dentro e com o lado externo todo branco. A pelargonium se parece com o gerânio. As Perpétuas são elegantes e resistentes. A Chasmanthe apresenta cores vivas, do amarelo ao vermelho. E os gladíolos, que já contam com 260 variedades disponíveis no mundo, ganham mais duas “irmãs”: a cor de laranja Sunshine e a branca, com flores maiores batizada de Solist.

      Destaque para a petúnia “Night Sky” (roxa com pigmentos brancos, remetendo a um céu estrelado), a craspédia (arredondada, com várias florzinhas amarelas), as alstresias (mistura de alstroemérias com frésias), alstroemérias “Jumbo” e “Azul”, a suculenta echevéria na cor chocolate e duas novas variedades de crisântemos (“Lígia” e “Ipanema”).

      Há flores de todos os tamanhos, como o lírio gigante “Jovem”, minicallas, minigladíolos, minikalanchoes (em embalagens com a Turma da Mônica para aproximar a criançada das flores) e as miniphalaenopsis em hidropote que duram 12 semanas. Para a decoração, estão sendo apresentadas as orquídeas estaqueadas em formato de “coqueirinho” e gipsofilas (mosquitinho) tinturadas em 12 cores.

      Lançamentos de novidades 2018

      Rosa London eye - Adriano van Rooyen - Sítio Santa Mariana (Andradas, MG) – Anderson Esperança – Sitio Vale das Flores (Andradas, MG)
      Esta rosa da linha nostálgica inglesa foi resgatada e já conquistou o mercado de decoração por ter mais de 100 pétalas em cada botão. Quando aberta, assemelha-se à peônia (flor muito cobiçada na Europa, Ásia e América do Norte, mas muito cara por ter um período de floração muito curto). Tem um perfume bem mais suave. A variedade foi desenvolvida pelo breeder (melhorista) holandês “De Ruiter”. Ela chegou ao mercado somente há três meses como “Rosa inglesa” e será encontrada unicamente na cor rosa-salmão. Sua produção deve chegar a 20 mil hastes por mês.

      Rosa Bluez - Vale Das Flores (Andradas, MG) e Rosas Jacutinga (MG).
      Seu diferencial são as pétalas aveludadas em tom vermelho brilhante por dentro com o lado externo todo branco.

      Pelargonium hortorum Sarita (gerânio-ferradura) - Lisa Flora (Holambra,SP)
      Essas flores são frequentemente confundidas com os gerânios, por serem da mesma família botânica, mas têm maior tolerância ao calor dos trópicos e suas flores em cachos são mais exuberantes e trazem cores mais vibrantes e intensas. Mesmo assim, são chamadas no mercado de “gerânio-ferradura”. Essas plantas são originárias da África do Sul, mas a variedade Sarita foi desenvolvida na Holanda. São plantas ornamentais de porte médio que se caracterizam pela abundância de flores e são resistentes à seca graças ao caule suculento. Desenvolvem-se ao longo do ano todo, com florescimento abundante e contínuo. Podem ser usadas em potes ornamentais e, também, no jardim. São encontradas nas cores vermelha, alaranjada, branca, rosa e neon e em tamanhos que variam de pote médio até cuias de 32 centímetros. Quando colocadas em local ideal, são perenes, com durabilidade superior a 11 meses.

      Perpétuas - Reijers Rozental (Mogi Mirim, SP).
      Planta originária das regiões tropicais, podem alcançar de 30 a 40 cm de altura. Chegam ao mercado com sete variedades de cores: a tradicional roxa, a vermelha (conhecida na América e na Europa como “Strawberry Fields - Flor de morango”), laranja, pink, branco, lavanda e salmão. É uma flor muito elegante e resistente que pode aguentar bastante tempo em vasos ou em espumas florais.

      Chasmanthe – Semente / Laranja / Amarelo - André Boersen (Holambra, SP).
      Originária da África do Sul, o Chasmanthe possui flores com cores vivas, variando entre o amarelo, laranja e vermelho. É produzida também a variedade “Semente” desta flor. No Brasil, seu florescimento é anual.

      Gladíolos Sunshine e Solist - Andreá Boersen (Holambra, SP).
      Essa flor é conhecida como Palma ou Palma de Santa Rita. Estas são apenas duas novas variedades dentre as 260 que estão disponíveis no mundo. O gladíolo Sunshine possui dois tons de laranja. O Solist é a branca, mas com flores maiores. A flor tem ciclo anual e, quando cortadas, devem sempre permanecer na posição vertical para uma boa conservação. Seu tamanho varia de 50 a 90cm.

      Petúnia Híbrida Night Sky - 10 produtores em Holambra e Atibaia (Alex do Prado, Celina Hirahara, Fernando Ruiter, Helio Yokonuki, Jean Ferreira, Nelson Okuyama, Roberto Yokonuki, Silvana Sonoda, Floricultura Vista da Serra e Andréia Borges)
      Essa petúnia roxa com pigmentos brancos - que parece um céu estrelado - é resultado de cruzamentos desenvolvidos pela empresa melhorista Selecta, da Alemanha, embora a espécie seja originária da África do Sul. A combinação e a disposição das cores da “flor do céu estrelado” são raríssimas entre as petúnias. Ela já ganhou vários prêmios internacionais de design e inovação. Especialistas dizem que o lançamento desta flor marcou um avanço no processo de reprodução. As flores são simples, em forma de trombeta, em tamanho de médio a grande, vistosas e delicadas. As folhas são ovaladas, pequenas e macias, verdes e possuindo pilosidades (pelos). Própria para o paisagismo, as petúnias preferem clima mais ameno (com pouco frio) e precisam de adubação mensal com produtos formulados e de, pelo menos, cinco ou seis horas de sol direto por dia. Nas condições necessárias, suas flores ficam bem abertas e as cores, vivas. No Brasil, a petúnia híbrida Night Sky teve que passar por vários testes de resistência, durabilidade e adaptabilidade às nossas condições climáticas para assegurar qualidade.

      Craspédia - Terra Viva (Holambra, SP)
      Também conhecida como "baqueta", a craspédia é uma flor que simboliza “boa saúde". Com formato esférico, é composta por uma grande quantidade de pequenas florzinhas delicadas e elegantes de cor amarela vibrante. O interessante é que, mesmo depois de seca, a flor da Craspédia também pode ser usada para decorar, em uma nova proposta. Bastante versátil, incorpora diferentes estilos e designs de arranjos florais, sendo esteticamente sempre muito agradável. É uma flor originária da Austrália e da Nova Zelândia e vem fazendo muito sucesso na Europa.
       

      Alstresias (Alstroemérias com cachos) - Única Flores
      Alstro Azul - Reijers, Mantiqueira
      Alstroeméria Jumbo - César Negretto
      Itapeva, Senador Amaral, Munhoz, Andradas (Serra da Mantiqueira, MG)
      O nome Alstresia é uma combinação de alstroeméria e frésia. O nome foi escolhido por serem astroemérias que têm o formato de cachos compridos, semelhantes aos das frésias. Elas chegam nas variedades Paradiso (branca), White Pearls (branca esverdeada), Fireflies (amarela) e Dynamite (vermelha). Essas variedades têm formatos diferenciados e maior quantidade de flores do que as tradicionais. Por isso, são mais chamativas. Elas são uma novidade mundial.
      Também está sendo apresentada a Alstroeméria Jumbo, com flores maiores, num belo tom rosa claro, e hastes de grande calibre. Esta variedade impressiona pelo imponente conjunto.
      Já a Alstro Azul é obtida pelo tinturamento da variedade branca. Apesar de as alstroemérias terem conquistado muito espaço no mercado, justamente em virtude de sua abundância de tonalidades e grande durabilidade em vaso, não há disponibilidade da flor nessa cor. Com a técnica do tinturamento, os produtores estão criando uma nova oportunidade de negócios para a cadeia de flores, podendo oferecê-las nas opções azul claro ou escuro e em graduações destas cores para criar efeitos mais intensos ou delicados.
      As alstroemérias são naturais da América do Sul, com linhagens oriundas do Brasil, Chile e Peru. O Sul de Minas Gerais – Serra da Mantiqueira - é, hoje, um dos mais importantes polos de produção do país, graças à altitude e ao clima ameno. A durabilidade - suportando até 21 dias após a colheita - é um dos pontos fortes das Alstroemérias e responde fortemente por seu grande sucesso e crescimento comercial no mundo todo.

      Echevéria “Hot Chocolat” - Johannes van Kampen – Sítio Van Kampen Flores – Holambra (SP)
      O nome deve-se à sua cor, um marrom charmoso que lembra “chocolate quente". É um tom raro de encontrar entre as suculentas, ou até entre as plantas verdes. Combina com decorações rústicas ou sofisticadas e funciona como coringa por ser bela, discreta e sem perfume.  Como a echevéria é uma planta cuja cor varia de acordo com a iluminação e o solo, foram necessários diversos testes para chegar às condições de ambiente ideais para esta variedade.

       

      Crisântemos Ipanema e Lígia - Maritha Domhof - Rancho Raízes (Holambra, SP)
      As duas novas variedades são bicolores e duram, no mínimo, três semanas.  As flores da Lígia Time são na cor lilás com riscos em roxo e têm, aproximadamente, 6 centímetros de diâmetro. Trazem mais de 40 flores por vaso. Já a variedade Ipanema Time, do tipo margarida, mescla em suas pétalas o amarelo com o vermelho. As flores têm aproximadamente 8 centímetros de diâmetro. Cada vaso traz mais de 50 flores. Produzidas também em vaso de barro (VB), elas podem ser usadas para decorar ou para presentear.

      Lírio gigante “Jovem” - Johannes Petrus Wulfram de Wit (Jan de Wit). Sítio Monarca (Holambra, SP)
      O lírio “Jovem” foi plantado e enraizado em câmara fria para que possa ser cultivado na casa do consumidor, que poderá acompanhar o seu desenvolvimento, até a floração. Estão sendo apresentadas no Brasil duas variedades desenvolvidas na Holanda: “lírio tiny bee” (amarelo) e “lírio tiny invader” (laranja). A proposta é uma mudança de cultura. A ideia veio da Holanda, onde os consumidores costumam cultivar suas próprias flores, adquirindo os bulbos para plantá-los e vê-los crescendo no jardim. No Brasil, esse acompanhamento do desenvolvimento da flor pode se dar em varandas, jardineiras junto às janelas ou em qualquer outro local de meia sombra. O cultivo do lírio até a primeira florada leva entre 30 e 35 dias. Cada bulbo gera de três a cinco flores. O lírio não tem perfume. As embalagens dos vasos trazem as instruções de como cuidar da planta. Outra vantagem para levar para casa um lírio apenas enraizado é a facilidade de transporte. O lírio adulto é uma planta ereta e longitudinal que pode atingir entre 40 e 50 centímetros de altura. Na fase inicial de cultivo, tem apenas entre 12 e 15 centímetros. A flor chega ao mercado junto com a Expoflora. Somente para o período do evento foram preparados 20 mil vasos.

      Plantas Minis

      Calla Mini - Terra Viva (Holambra, SP)
      A Calla é também conhecida como copo-de-leite e pertence à mesma família do antúrio e do lírio (Aráceas). Tem origem africana. Na versão mini será encontrada nas cores amarela e laranja. As flores são firmes e duráveis e sua folhagem é verde brilhante e muito ornamental. Todas essas características são mantidas na versão mini, que traz a planta mais compacta, mas com as mesmas flores firmes, duráveis e de cores vibrantes. Também a sua folhagem verde brilhante contribui para que tenha um grande valor ornamental, além de ser uma planta de fácil cultivo. São encontradas nos autosserviços (supermercados, varejões etc.) nas embalagens da Coleção Primavera Verão - Sunset – da Terra Viva que foram redesenhadas com o objetivo de tornar o produto ainda mais atraente e pronto para decorar ou presentear.

      Minigladíolos - Rafael Meulman, Theodoro Meulman e Estephano Geraldo Meulman - Sítio Tropical – Holambra (SP).
      Os gladíolos foram as primeiras flores plantadas em Holambra e, por isso, fazem parte do início de desenvolvimento da floricultora da cidade. Este ano, chegam na versão mini, obviamente com flores e hastes menores. Conhecidos como palma-de-Santa Rita e palma-holandesa, suas versões pequenas são apresentadas em quatro novas variedades (Sylvia, Anique, Maggie e Farah), nas cores amarela, lilás, salmão e bicolor (vermelho e amarelo). Tanto o tamanho menor quanto as cores mescladas garantem um toque de delicadeza aos gladíolos. São muito duráveis e caracterizam-se pela abertura das flores em períodos diferentes, mantendo a beleza por mais tempo. As primeiras referências sobre a espécie datam dos anos 50 a.C. Trata-se de uma planta originária de clima tropical, sendo que, das 150 espécies existentes, 100 são nativas da África do Sul e Equatorial. As variedades atuais diferem muito das espécies nativas devido aos melhoramentos realizados, por longo tempo, principalmente na Europa.

      Minikalanchoes “Turma da Mônica” – Jacob Swart – Holambra (SP)
      Para aproximar as crianças do cultivo de plantas, o Grupo Swart foi buscar ajuda no bairro do Limoeiro. Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão estampam uma linha exclusiva de coloridos minikalanchoes. A espécie foi escolhida por ser muito fácil de cuidar. Da família das suculentas, armazenam água em suas folhas e, por isso, precisam de pouca rega.

      Mini phale no hidropote (dura 12 semanas) - Ecoflora Brasil – Sítio Ecoflora (Holambra, SP)
      As miniorquídeas phalaenopsis já conquistaram o mercado, mas a cada ano trazem uma novidade. Essas flores originárias da Ásia e da Europa começam a ser vendidas em mini-hidropote (pt6), que as fazem durar mais na casa do consumidor, podendo chegar a até 12 semanas. Elas podem ser encontradas nas cores naturais lilás, roxa, branca, amarela, rosa e em padrões exóticos. Os hidropotes foram desenvolvidos na Europa com alta tecnologia e permitem um intervalo de até quinze dias entre as irrigações. O substrato é específico para este tipo de vaso que permite o hidrocultivo. Pelo menos 10 mil vasos estarão disponíveis para lançamento na Expoflora.

      Para decoração

      Coqueirinho phale estaqueada em formato diferente - Kees van Rooijen
      Sucesso no mercado holandês, a orquídea “Coqueirinho” já agradou o consumidor brasileiro. O nome surgiu espontaneamente graças ao formato que as orquídeas phalaenopsis ganharam ao serem estaqueadas em formato diferente do padrão, com duas hastes arqueadas em direções contrárias. O resultado é um arranjo muito bonito e versátil, que pode ser usado em qualquer tipo de decoração. São utilizadas diferentes variedades, nas cores roxa, rosa, amarela, branca e exóticas. O tamanho varia entre 60 e 70 centímetros e são flores de alta durabilidade.

      Gipsofilas tinturadas - Reijers (São Benedito, CE).
      É popularmente conhecida como mosquitinho ou branquinha e vem da família Caryophyllacea, da qual também fazem partes os cravos. Apesar de pequenina, esta flor forma cachos volumosos e suas hastes são firmes e maleáveis, sendo uma opção extremamente versátil e muito querida pelos floristas e decoradores.  Por isso, as gipsofilas “tinturadas” surgiram da crescente demanda de ter essas flores também em outras cores devido à sua versatilidade em arranjos de mesa, colunas, buquês de noiva, lapelas, tetos, painéis verticais etc. A Reijers buscou parceiros internacionais para desenvolver técnicas de embelezamento para as gipsofilas e já oferece 12 cores vibrantes: azul e verde claros e escuros, roxa, lilás, rosa, pink, vermelha, amarela, laranja e negra - todas com possibilidades de graduações de tons. Como são preparadas somente sob encomenda, é permitida a customização do pedido. As gipsofilas são flores com ótima durabilidade, suportando até 15 dias após a colheita. O tinturamento não é prejudicial à durabilidade e não oferece risco à qualidade das flores. A produção prevista é de 60 mil maços por mês.

      Serviço:
      37ª Expoflora
      Localização: Holambra/SP
      Data: 24 de agosto a 23 de setembro (de sexta a domingo)
      Horário: das 9h às 19h
      Ingressos: R$ 48,00 na bilheteria e no site www.ingressorapido.com.br
      Patrocínio: Coca-Cola Femsa Brasil, Água Mineral Crystal, Amstel e Ultragaz e apoio do Banco do Brasil e da Prefeitura Municipal da Estância Turística de Holambra.
      Informações para o público: (19) 3802-1499





  • VIP IN TOUCH

  • CONTACT

  • Revista Vip Virtual

  •